30 novembro, 2008

Ídolos, referências!


Salut...

Como disse Renato Russo, o brasileiro provavelmente é o povo que é mais devoto aos seus artistas prediletos. Creio que isso deve vir de uma carência muito grande no que se refere a um espelho a ser seguido, ou um norte que traça um caminho que sobrepasse por entre os rios de pedras que existem por aqui. Acredito que não sou diferente. Quando gosto de algo, mergulho naquilo para poder tirar tudo o que de bom oferece, principalmente em se tratanto de música e literatura. E estar um dia na presença daquele que lemos ou ouvimos, diante daqueles que tem pensamentos parecidos com os nossos ou nos sensibilizam com sua arte pode ser considerado um dos maiores sonhos. Eu teria a oportunidade de realizar esses sonhos nessa semana, visto que estavam no Brasil a minha banda favorita e meu escritor favorito. Isso mesmo tudo de uma vez. O Queen (agora com Paul Rodgers no lugar de Freddie Mercury nos vocais) fez show em SP e RJ esta semana. Mesmo sem o seu líder gostaria de ter visto Brian e Roger. Mas infelizmente não se nasce em berço de ouro para poder cobrir os gastos de uma viagem e ingresso. 
No dia seguinte José Saramago (para mim o maior escritor vivo e um dos maiores da história da  humanidade) lançou em SP seu novo livro "A Viagem do Elefante". Gostaria de ter ido ao menos para ver de longe o ídolo, mas não foi possível. Acho que fiquei meio calejado com os insucessos. Por isso não estou mal por não ter ido. Provavelmente é consequência da perda do show do Aerosmith no ano passado, no qual não pude comparecer devido ao esgotamento dos ingressos. 
Pois bem, como eu falei em Saramago vou deixar aqui o link da entrevista na íntegra que ele deu para a Folha de SP. Deixo também algumas frases marcantes de seus livros. Quem nunca leu não tem a mínima idéia de como a pessoa se transforma após ler seus livros. Dicas para leitura: "Ensaio Sobre a Cegueira", "Ensaio Sobre a Lucidez", "As Intermitências da Morte", "O Homem Duplicado", "A Jangada de Pedra", "Memorial do Convento", "O Evangelho Segundo Jesus Cristo".  
Au Revoir!!!!


“A morte é a suma razão de todas as coisas e sua infalível conclusão, a nós o que nos ilude é esta linha de vivos em que esta linha de vivos em que estamos, que avança para isso a que chamamos futuro só porque algum nome lhe havíamos de dar, colhendo dele incessantemente os novos seres, deixando para trás incessantemente os seres velhos a que tivemos de dar o nome de mortos para que não saiam do passado”. Jangada de Pedra

"Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos". Ensaio Sobre a Cegueira

"Quem sabe se entre estes mortos não estarão os meus pais, disse a rapariga dos óculos escuros, e eu aqui passando ao lado deles, e não os vejo, É um velho costume da humanidade, esse de passar ao lado dos mortos e não os ver, disse a mulher do médico". Ensaio Sobre a Cegueira.

“Quando regressaram, o acampamento parecia um lar, a fogueira confortava-se entre as pedras, o candeeiro pendurado da galera fazia para o espaço desafogado meia roda de luz, e o cheio da fervedura era como a presença de Deus Nosso Senhor”.  Jangada de Pedra


 

2 comentários:

nayara disse...

HA!ja senti isso também, frustante ..
Adoro seu blog ! bju

nayara disse...

HA!ja senti isso também, frustante ..
Adoro seu blog ! bju